ENTREVISTAS

http://youtu.be/TWOSTLV2lXk

Novo

ENTREVISTA  POR ANA SOUSA DIAS NA REVISTA PÚBLICA DE 22 DE AGOSTO DE 2010

VER ENTREVISTA EM PDF

***

Storm- magazine

(25 Julho 2009)

Entrevista de Helena Vasconcelos

O sucesso de “O Gato de Uppsala” ( Ed. Sextante, Lisboa, 2009) fez renovar o entusiasmo e interesse pela obra de Cristina Carvalho, uma autora que tem vindo a desenvolver um estilo de escrita ágil e rico em imagens e conceitos. A publicação subsequente de “Nocturno. O Romance de Chopin” (Ed. Sextante, Lisboa, 2009), cuja importância se tornou ainda mais marcante neste ano de 2010, quando se comemoram os 200 anos do nascimento do compositor polaco – ver artigo nesta mesma edição da Storm-Magazine – veio confirmar os dotes de uma escritora que se destaca no panorama literário português pela sua originalidade, consistência e grande qualidade.

http://www.storm-magazine.com/novodb/index.htm

***

Entrevista publicada no blogue RASCUNHO –

«É preciso evitar o atavismo»

Este é um tempo frutuoso para Cristina Carvalho: tem O gato de Uppsala a esgotar segunda edição – o que motivou a conversa com o RASCUNHO –, um livro no prelo e outro a caminho. É uma entusiasta da vida e da Natureza. E aí estará mais um volume.

http://rascunho.iol.pt/artigo.php?id=2742

——————————————————————————————-

Entrevista  publicada no Blogue AS HISTORINHAS DA ILDA –

http://ashistorinhasdailda.blogspot.com/

———————————————————————————

JL  – Jornal de Letras, Artes e Ideias (20 de Maio de 2009)

 

 

 

artJL

***

O blogue Novos Livros

(http://novoslivros.blogspot.com/2009/03/cristina-carvalho-o-gato-de-uppsala.html)

1- O que representa, no contexto da sua obra, o livro «O Gato de Uppsala»?
R- Realmente, este romance foi uma experiência. Saí da minha linha de escrita. Ou por outra, consegui sair da “marca” das minhas histórias anteriores. Desliguei-me completamente de mim. Desafiei a minha imaginação, o que não é fácil ao fim de tantos e tantos anos a escrever com um certo rumo. Esta frase – tantos e tantos anos a escrever – não quer dizer que tenha publicado tantos e tantos livros! Nem pensar! Tristemente, chego à conclusão que publiquei antes deste, apenas 4 livros. Escrevi muito, é verdade. Mas do escrever muito à grande publicação vai um passo enorme. Tive pouco tempo toda a minha vida. Trabalhei muitos anos, tive filhos. Às tantas, temos de escolher. E, como sabe, para escrever livros ou para pintar quadros ou para desenhar vestidos, é preciso silêncio, concentração, experiência que vem desse silêncio e dessa concentração. E a vida é curtíssima! Eu quis escrever, eu quis amar, eu quis ter filhos, eu quis os meus amigos, eu quis e quero ler muito, ouvir muito, viajar muito, sonhar ainda mais; eu quero sentar-me nas pedras do meu jardim e não fazer nada, nada, nada. Quero escutar o silêncio da noite, o silêncio dos dias, o piar dos pássaros da noite, o remexer das folhas nas árvores. Eu quero tudo e sei que vou morrer com tão pouco, com quase nada.Estou a fugir à pergunta, não é? Pois, no contexto da minha obra que eu espero que finalmente cresça, este livro, O Gato de Uppsala, é uma feliz experiência. Ao escrevê-lo senti uma espécie de felicidade, uma espécie de alegria, se assim se pode chamar aquilo que senti e que gostava de transmitir a quem o possa vir a ler.

2- Qual a ideia que esteve na origem do livro?
R- Eu sempre desejei escrever qualquer coisa a que pudesse chamar de -Natural- O romance O Gato de Uppsala, para mim, é um hino à Natureza e apenas isso. Quando o comecei a escrever, pensei em tudo e não pensei em nada. Quis dedicar esta história à minha Terra, ao meu planeta Terra, ao céu, aos astros, às árvores, aos “bichos todos”, ao mar, às rochas do mar e às gargalhadas das suas gaivotas; à terra pela terra que é, a tudo o que é natural e a tudo o que compõe a Natureza porque eu sou parte dela, nasci dela e a ela voltarei, assim como toda a gente. Digo isto não no sentido religioso, mas no sentido cósmico, mágico, impenetrável, indecifrável e infinito. Secreto.Portanto, na origem desta história, está o meu sentimento pela Natureza. Pela Natureza em paz e pela paz da Natureza.

3-Pensando no futuro: o que está a escrever neste momento?
R- Estou a meio dum romance que deverá estar pronto em Setembro para ser publicado logo no início do próximo ano. Estou também em fase de revisão dum outro romance já terminado.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: